“Ela é uma mulher que ama as pessoas pelo que elas são” Gal Gadot fala sobre Mulher-Maravilha

Não deve ter sido fácil ser o ícone, antes interpretada por Lynda Carter, mas Gal Gadot fez dela a própria Mulher Maravilha. Ela se tornou a favorita dos fãs e provou ser digna das pulseiras de ouro quando se juntou ao Cavaleiro das Trevas e ao Homem de Aço em ‘Batman v Superman: A origem da Justiça‘. No próximo verão, será a estrela do filme solo da Mulher-Maravilha, dirigido por Patty Jenkins.

A Variety falou com Gadot sobre o legado da personagem e o que os fãs podem esperar.

Qual é o segredo do encanto pela Mulher Maravilha?
Gal: Ela é relacionável. Ela tem o coração de um ser humano e é muito compassiva, mas suas experiências – ou a falta delas, sua ingenuidade, na verdade – faz ela se interessar em tudo ao seu redor e ser capaz de ver o mundo de uma maneira que nós todos gostaríamos: com uma curiosidade genuína.

Você acha que é importante ter uma diretora em “Wonder Woman”?
Gal: Eu não acho que se trata sobre gênero. Talvez porque estamos contando uma história de crescimento de uma menina que está se tornar uma mulher, é mais fácil para que possa ser dito por alguém que uma vez foi uma menina e tornou-se uma mulher. Eu sinto que Patty Jenkins era a pessoa certa para o filme, porque simplesmente é a pessoa certa para o filme. Ela sabia exatamente como ela queria contar sua história. Ela sabia exatamente onde queria chegar. Ela é brilhante e inteligente e muito apaixonada.

Qual foi a visão de Jenkins para contar a história de Mulher Maravilha?
Para ela era muito importante não apenas retratá-la como uma deusa, mas sim contar uma história muito simples de alguém que acredita em bondade e que as pessoas devam ser felizes e levar vidas felizes e seguras. Nos importávamos muito sobre a simplicidade da Mulher Maravilha, porque é simples. Foi com seu coração que nós nos preocupamos, não sobre ela sendo uma guerreira. Quando você conta uma história a partir do coração, todos nós podemos nos identificar, porque todos nós queremos viver em um mundo seguro, tranquilo e pacífico.

Greg Rucka, escritor de longa data da “Mulher Maravilha”, acredita que a personagem é bissexual. Ele argumenta que, porque ela viveu em Themyscira, que é habitado apenas por mulheres, ela deve ter tido relações homossexuais. A Mulher Maravilha é bissexual no filme?
Não é algo que nós exploramos. Algo que não veio a mesa, mas quando você fala teoricamente sobre todas as mulheres em Themyscira e quantos anos elas estavam lá, então o que ele diz faz todo sentido. Neste filme ela não vai ter quaisquer relações bissexuais. Mas não é sobre isso. Ela é uma mulher que ama as pessoas pelo que elas são. Ela pode ser bissexual. Ela ama as pessoas pelos seus corações.

Quanto tempo demora para colocar o traje da Mulher Maravilha, e como é a sensação de se vestir assim?
Leva cinco minutos para tirar e 20 minutos para colocar o traje inteiro. Eu passei um ano inteiro com ele, desde “Batman v Superman” até “Liga da Justiça” e ‘Mulher-Maravilha‘. De um filme para o outro ele foi ficando cada vez mais confortável. Eu amo o jeito que ele está agora, mas não me sentia confortável no início. Me sinto melhor nele agora. E isso é muito importante, porque o papel é totalmente físico.

Qual é a sua arma favorita Mulher Maravilha?
Eu gosto do laço da verdade. É tão lindo o fato de que as pessoas dizem a verdade quando têm o laço em torno deles. E não é muito violento.

Fonte | Tradução: Gal Gadot Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *